contato

A liberdade da solidão é a segurança de não ser compreendido, pois aquele que nos compreende escraviza alguma coisa em nós.(Khalil Gibran)



Whatsapp - (13) 98129 3515

O blog da Solange Lima Headline Animator

traduza este blog para o seu idioma

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

MEUS ESCOMBROS

As vezes nos distanciamos tanto de nossas origens, essência, valores, que uma súbita solidão nos abate.
É como se não conhecêssemos aquela pessoa que está dentro de nós.
Quantas vezes me senti completamente sozinha por que não me identificava com as pessoas que me cercavam e ao mesmo tempo não me identificava com a pessoa dentro de mim.
Nos aplicamos tanto a sermos politicamente corretos, a nos adaptarmos a tudo e a todos para sermos bem aceitos pela sociedade hipócrita e homicida, que chega um momento em que não sabemos mais quem somos. 
Nem a pessoa que hoje habita em nós é real e tão pouco a outra pode ser resgatada facilmente.
Horas em que desejamos que uma mão milagrosa nos puxe do meio de nossos escombros.
Um desejo forte de sermos libertos de nós mesmos.
Aquela sensação de que tudo está fora de lugar.
Como se um abalo sísmico tivesse revirado tudo por dentro sem deixar pedra sobre pedra.
Sentimentos, finanças, profissão, relacionamentos, posicionamentos, decisões... tudo completamente fora do  lugar, embaixo dos escombros dentro de nós.
Como se reerguer?
Haverá vida sob os escombros?
Só há uma maneira de saber.
Escavando. 
Com cuidado, paciência, cautela, perseverança e muita dedicação.
É preciso acreditar que o que está de baixo de toda aquela sujeira é valioso.
Vale a pena todos os esforços.
Debruçar-se sobre a montanha de entulhos que escondem a melhor pessoa que você conseguiu ser até o momento. 
Não para acomodar-se, mas para apoiar-se e estabilizar-se a fim de trazer para fora a alma soterrada. 
Há quem prefira permanecer nos escombros alternando-se entre limpar um ferimento e outro e tentar puxar para debaixo da sujeira quem possa responsabilizar por seus próprios deslizes de terra firme.
Faz tempo que você não vê a luz do dia?
Seus sonhos foram cancelados?
Há uma enorme pedra impedindo que saia dos escombros?
Você é um milagre. A vida é um milagre.
A partir daí qualquer milagre pode ser realizado.
Se você nasceu um dia, pode renascer.
Não há pedra que resista a força da fé e da esperança.
Junte suas forças, acredite em você, admire quem você é e empurre essa pedra.
Levante-se!
Saia de seus próprios escombros.

REFLEXÃO DO DIA:
"A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. 
Provérbios 16:18"- (http://www.bibliaonline.com.br/acf/pv/16)
  • para entrar me contato com Solange Lima mande e-mail para "oblogdasolangelima@hotmail.com"

4 comentários:

  1. Solange, olha eu por aqui outra vez, mas vamos ao tema.
    Creio que somente uma ferramenta seria capaz e também suficiente para a retirada dos escombros. Escombros estes que nem sempre são materiais que nos sufocam ou impeçam sermos resgatados de alguma tragédia. Como bem compartilha você em seu post, muitas vezes eles nos protegem de sermos resgatados. Estranho certo!
    Sim, porque algumas vezes queremos seguir escondidos nestas ruínas que ao longo do tempo impedem que sejamos vistos como realmente somos. Até porque, pode por algum ou muitos motivos, ser que não queiramos ser visto como somos de verdade.
    Ensino em minhas palestras que o caráter de uma pessoa se forma dos zero aos cinco ou seis anos de idade. Caráter é aquilo que somos por dentro, o que realmente sabemos que somos. Mas existe outra palavra que se define como personalidade, e esta é o que somos diante dos demais. Diante daqueles que nos rodeiam sempre ou esporadicamente
    Quando não existe compatibilidade entre estas duas, caráter e personalidade, a vida se transforma em sobrevivência, que vale dizer, não são a mesma coisa. Quando nos esforçamos para ser algo, denotamos que esta não é nossa essência. Não necessito esforçar-me para ser o que já sou. Outra frase que também sempre digo muito é: “O que nos separa do que queremos, é a diferença entre o que somos e aquilo que fazemos”.
    Não prolongarei muito este comentário, pois muito se tem a dizer a respeito, mas direi que esta ferramenta a qual me referi ao principio destas linhas é a AUTENTICIDADE.

    Ser autêntico significa o grau de individualidade, singularidade e diferenciação que todos podem encontrar e consolidar contra as pressões sociais e seus grupos de referência.
    Uma pessoa autentica tem características únicas e convicções muito próprias, que guiá-lo em sua vida.
    É bastante enganoso pensar que sé é autentico quando assumimos as posições de outros, sejam estes, grupos de pessoas.
    Quando internalizamos pensamentos dos outros sem questionamentos ou incorporamos modas que nos padronizam, antes de fazer-nos originais.
    Mundo difícil este que vivemos Solange, onde não há nenhum tipo puro de autenticidade. Onde a pressão social por produções culturais e comerciais escrevem ao indivíduo como deve ser, pensar, vestir, sentir, entre outras coisas. Assim, ilhar-se para ser verdadeiramente autentico, não seria a solução. Rebelar-se contra a ordem estabelecida não é uma muito boa opção, especialmente quando existem leis sociais que ajudam a atender a coexistência geral.
    Como podemos apreciar ser autênticos em um mundo que não vende a singularidade, mas sim cópias e modelos. Infelizmente resta-nos esperar que as pessoas permaneçam em modelos de vida, moral, intelectual, espiritual, social e familiar, inadequadas.
    Então Solange, em que se radica a autenticidade? Talvez seja mais fácil deduzir aquilo do que não é autentico.
    Não é autentica uma pessoa que:
    - Imitar o mau comportamento orientado, com a finalidade de obtenção de quaisquer benefícios.
    - Adota pensamentos e ações que não contribuem para o bem estar da sociedade.
    - Adota o próprio vestuário em busca de atenção em vez de gerar uma boa apresentação pessoal.
    - Que faz o que os outros fazem sem analisar as reais intenções de dita postura.
    - Que não é fiel em seus próprios valores e convicções profícuas. (Todos temos sido, ainda que minimamente, ensinados nos princípios e valores de uma sociedade desejável)

    Solange, em minha opinião, podemos dizer, então, que uma pessoa é autêntica quando é orientada para o bem, quando é ela mesma, evitando errôneos modelos culturais, ou maneiras de pensar que destroem a sociedade humana. Uma pessoa é autentica quando deseja ser ela mesma e desenvolver um propósito de vida ou projeto, sem a necessidade de imitar os outros.

    Ser autêntico é não ser a cópia fiel de outro ou outra, seja este quem for. Sem esquecer-se de respeitar o estilo de vida dos demais mas tendo uma posição pessoal para decidir ser voce mesmo.
    Beijos querida, perdão o longo do comentário, mas amo seus posts.
    Sérgio Gonçalves, teu amigo longínquo.

    ResponderExcluir
  2. Sempre interessantíssimos teus posts,,, parabéns.

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigada querido amigo Sérgio!
    Sinta-se a vontade sempre para comentar o quanto quiser.
    Obrigada a você também(anônimo) pelas palavras e pela muito bem vinda visita!

    ResponderExcluir

Obrigada por seu comentário!
solangelimaproducoes@hotmail.com